Imprudência, negligência e imperícia: saiba diferenciá-las

Tempo de leitura: 3 minutos

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, são registradas mais de 43 mil mortes por ano no trânsito, sendo 75% em acidentes de moto. Sabia que em muitos casos pode ter ocorrido imprudência, negligência ou imperícia por parte dos condutores?

Independentemente do veículo, torna-se algo de suma importância respeitar as leis de trânsito, não só por conta de evitar um déficit na pontuação da CNH, mas para que se tenha uma sociedade civilizada e ética.

Sendo assim, trouxemos neste artigo um apanhado geral sobre o assunto, até mesmo para gravar na mente os conceitos e as características de cada um. Confira!

O que é imprudência?

A imprudência é aquela ação precipitada que pode gerar consequências drásticas, dependendo do ato em si praticado. Se você desviar do que é considerado como comportamento adequado, tendo a consciência de que está fazendo algo de errado, estará cometendo um ato imprudente.

Embora o “jeitinho brasileiro” seja algo criativo em algumas oportunidades, em tantas outras pode colocar em risco a sua vida e, consequentemente, a de outras pessoas. A falta de atenção e cuidado com situações básicas caracteriza a imprudência e, conforme o ocorrido, ainda pode ser considerado um ato de má-fé.

As infrações de trânsito são os maiores exemplos nessa questão, afinal, mostram que os condutores de veículos não tiveram cautela alguma e, por isso, foram penalizados. Com isso, os casos de excesso de velocidade, de atravessar no sinal vermelho, de guiar pela contramão e de dirigir alcoolizado são algumas das ações imprudentes.

O que é negligência?

Apesar de a negligência se assemelhar um pouco com a imprudência, principalmente em relação à desatenção e à consciência de que se está tomando um caminho errado, o erro nesse caso não é na ação, mas sim na omissão. Negligenciar algo é deixar de cumprir uma obrigação que lhe foi designada ou se esquecer de tomar as devidas precauções.

A passividade diante de uma situação pode ocasionar tantos prejuízos ou mais do que a imprudência, visto que era esperada alguma ação e a mesma não foi executada. No trato com as motos, a omissão traz consequências sérias e faz com que a pessoa corra riscos que poderiam ser remediados com antecedência.

Vamos imaginar que você queira viajar de moto, mas deixou de fazer uma manutenção preventiva antes. Por mais simples que seja, a falta desse procedimento pode trazer inúmeros danos à motocicleta e, ainda por cima, colocar você em perigo por ficar indiferente ao problema.

O que é imperícia?

Assim como a imprudência, a imperícia se sucede por consequência de uma ação, seja ela simples, seja complexa. No entanto, neste caso a situação pode ficar ainda mais alarmante, pois se trata de realizar algo sem a devida capacidade para o exercício da função, o que pode gerar falta de credibilidade no caso de uma empresa.

Por maior que seja a boa vontade que a pessoa tenha em ajudar ao executar um ofício que não domina, vale muito mais a pena reconhecer que não sabe fazer determinada ação do que arriscar e demonstrar inaptidão para tal, principalmente, se for uma atividade exclusiva para profissionais.

Imagine que queira calibrar os pneus da moto, por exemplo, mas o frentista é novo no estabelecimento e não dispõe de habilidade alguma para efetuar o processo. As chances de isso dar errado são muito grandes e, naturalmente, você perderá tempo indo em outro lugar para resolver a sua necessidade.

Portanto, fique de olho para não ser imprudente, imperito ou negligente no trânsito, tendo em vista que pode prejudicar não apenas você, mas outros condutores e até os pedestres. Entenda que a direção defensiva é essencial para a prevenção de acidentes.

Se você gostou deste artigo sobre imprudência, negligência e imperícia e quer ter acesso a outros conteúdos, curta a nossa página no Facebook para ficar por dentro das novidades!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *