Financiamento ou consórcio: qual a melhor opção?

Tempo de leitura: 7 minutos

Ao adquirir ou trocar a sua moto, é fundamental avaliar uma série de questões para saber se realmente é o melhor momento, se é necessário aguardar ou se é possível viabilizar a compra de outras formas, mesmo que a longo prazo, entre outras questões.

Além de escolher o modelo que mais combine com o seu perfil, outra dúvida recorrente é sobre a melhor opção para adquirir o bem: financiamento de moto ou consórcio? Ambos apresentam vantagens específicas, mas suas particularidades são diferentes.

Para ajudá-lo a escolher com maior conhecimento de causa, preparamos este artigo para que você se decida com mais segurança e realize o seu sonho de contar com uma moto própria. Boa leitura!

O que é o financiamento?

Uma das formas mais adotadas para a aquisição de uma moto, o financiamento é um processo em que o interessado no veículo solicita diretamente à instituição financeira o valor necessário para completar a operação.

O banco, assim, fará uma análise de crédito, verificando, por meio de documentos, se o seu perfil financeiro consegue, de fato, arcar com a dívida que está sendo proposta. Se aprovado, o valor é liberado diretamente para a loja na qual vai comprar a moto.

Depois disso, o pagamento é feito em parcelas (normalmente, em até 36) e a retirada é feita de forma imediata. Desse modo, podemos dizer que o financiamento é um tipo especial de empréstimo, já que uma organização adquire a moto em nome do solicitante.

Assim, cabe ao cliente pagar as parcelas correspondentes, em uma política conhecida como Crédito Direto ao Consumidor (CDC).

É importante pensar que se você obteve o valor total de imediato, foi, de fato, um empréstimo. Por isso, o banco cobra juros sobre o montante total e que são cobrados parcela a parcela.

Além disso, se você deixar de pagar o valor, a instituição financeira poderá entrar com uma ação judicial para tomar o seu veículo caso deixe de pagar a dívida.

Em compensação, você terá a vantagem de poder adquirir a sua moto na hora, sem ter de esperar para retirá-la da loja. Você pode abater o valor do financiamento oferecendo um valor de entrada — normalmente é pedido que seja pago, desta forma, pelo menos 10% do valor total do veículo.

O que é o consórcio?

Se o financiamento é a opção mais adotada pelos entusiastas das duas rodas, o consórcio de moto é o meio mais econômico de realizar o sonho. Isso porque ele é um fundo coletivo de poupadores, com contribuições mensais dos clientes.

No caso, ao participar, a pessoa adentra ao fundo e paga, todo mês, a mensalidade do consórcio. Você participará dele junto com outras pessoas, formando uma espécie de poupança comum. Em outras palavras, é uma espécie de autofinanciamento a longo prazo.

Você pode ser contemplado com um sorteio durante o período de vigência e conseguir ter o seu veículo em mãos mais rapidamente. Mas, caso contrário, você terá que esperar até o final do prazo de vigência do consórcio ou, então, buscar fazer o melhor lance de cada rodada, para conseguir retirar a sua moto antecipadamente.

A boa notícia é que a entrega é garantida tanto pela fábrica como pelo Banco Central. A retirada da moto é concluída quando um dos participantes do consórcio é sorteado ou quando realiza o maior lance daquela rodada.

Outro diferencial é que não há uma taxa de juros, apenas um valor fixo estabelecido pela empresa administradora desse consórcio. Neste caso, o valor total pago, no final, tende a ser menor do que os financiamentos, quando comparamos caso a caso.

Além disso, ele não depende de análise de crédito para que você possa adentrar. Caso esteja negativado, nada impede que possa participar, desde que arque com as mensalidades em dia. Para isso, é importante pesquisar, entre as cartas de crédito, qual delas, de fato, cabe em seu orçamento, para não perder a pontualidade do pagamento.

Caso você atrase ou deixe de pagar, perde o direito de participar dos sorteios e dar lances. Por isso é fundamental manter os pagamentos em dia.

Quais as diferenças entre consórcio e financiamento?

Bom, como podemos ver, um primeiro ponto que é bem diferente diz respeito aos prazos de entrega do seu veículo. Enquanto no financiamento você já sai com ela em mãos, no consórcio você sabe apenas que a receberá no período final. O resto (sorteios e lances por rodada) são incertos. Você pode ou não ser contemplado antes.

Outro ponto é o valor total a ser pago. Enquanto o financiamento possui taxas e juros inclusos que podem aumentar a quantia das parcelas, quanto o montante total que será pago, o consórcio não possui juros, de forma que ocorre apenas um valor fixo para administração dele.

O financiamento é uma dívida, de fato, de forma que, caso você não arque com os seus compromissos, poderá ter o bem apreendido e o seu nome pode ser negativado. Já no consórcio, caso você desista, não terá uma dívida em seu nome. Mas é preciso avaliar, segundo o contrato, como fica a questão da devolução do valor investido e, se, de fato, há essa possibilidade.

Mas então, financiamento ou consórcio: qual deles é a melhor escolha? Vamos mostrar os principais pontos para realizar uma escolha adequada a seguir.

Financiamento ou consórcio: como escolher?

O financiamento é especialmente indicado para as pessoas que contam com um planejamento financeiro mais apurado para concretizar a compra. Se esse não for o seu perfil, você pode acabar se complicando com a quitação das parcelas e os cálculos relacionados às taxas de juros, que crescerão.

Diferentemente do que ocorre no consórcio, no qual é preciso contar com uma boa dose de sorte para ser sorteado, o financiamento de motos proporciona a retirada do veículo da concessionária em poucos dias — desde que você esteja de acordo com todos os requisitos estabelecidos pela instituição.

Em muitos casos, a aprovação do crédito ocorre de forma instantânea, o que garante que o cliente saia com a moto rapidamente. De forma sucinta, podemos dizer que o financiamento é uma opção mais adequada às pessoas que têm dificuldade para economizar dinheiro e trabalhar com parcelas.

Já o consórcio Honda é um dos mais democráticos do mercado. Isso porque 100% dos clientes que pagam as parcelas em dia são devidamente contemplados ao final do plano. A ausência de taxa de juros é outro diferencial significativo para aqueles que pretendem tornar todo o processo mais tranquilo.

O custo de administração do plano é dividido durante todo o período em que o consórcio estiver em vigor e é, de modo geral, bem menor em relação ao financiamento de uma instituição bancária.

Além disso, é possível escolher diretamente o valor da carta de crédito que mais se adéque aos seus interesses, além dos prazos e preços de cada parcela. Os preços são bastante atraentes, já que as parcelas variam em número de 12 até 80.

Como pudemos ver, a escolha entre financiamento de moto ou consórcio Honda depende dos seus objetivos e do planejamento financeiro. Na primeira opção, é possível adquirir o bem de forma mais rápida, mas a ausência das taxas de juros pode ser um fator que o atraia para o segundo modelo, por exemplo.

Sendo assim, analise quais são suas prioridades, seu atual momento, de que forma a fazer a escolha que esteja mais adaptada ao seu bolso, seu padrão de orçamento e estilo de vida.

Quer saber mais sobre essas duas modalidades? Então entre em contato conosco e conheça o nosso trabalho e nossas opções!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *