Entenda os tipos de óleos para motos e evite problemas

Tempo de leitura: 3 minutos

Você, motociclista, já deve saber da importância de trocar o óleo da sua moto para preservar e garantir o bom funcionamento. Mas não basta apenas realizar a troca de tempos em tempos. É fundamental escolher o óleo certo para o veículo. Isso porque cada motor foi projetado para funcionar com um tipo de óleo específico.

Essa informação, geralmente, consta no manual da motocicleta, e é uma orientação que deve ser levada à risca por ser a opção mais segura na hora de escolher o lubrificante para sua moto.

Quer entender melhor sobre o assunto? A seguir vamos abordar as principais informações sobre óleos para motos, mostrando seus diferentes tipos e também dicas para realizar a troca. Vamos lá?

Tipos de óleos

Como falamos a pouco, tão importante quanto ficar de olho no período correto para realizar a troca de óleo da moto, é saber qual o tipo de lubrificante certo. Usar produtos com as especificações adequadas, diminui o consumo de combustível e aumenta a durabilidade do motor. Abaixo vamos mostrar os tipos mais comuns existentes no mercado:

Mineral

O óleo mineral é obtido por meio de uma mistura de vários compostos aditivos e óleos básicos advindos do refino do petróleo. É o óleo mais tradicional do mercado, porém, com a qualidade inferior em relação aos sintéticos e semissintéticos. Veja suas principais características:

  • tem um valor mais baixo;
  • atende as exigências de modelos mais antigos de motos;
  • necessita de mais trocas de óleo por ter duração mais curta.

Sintético

Já o sintético é obtido por uma reação química a partir de óleos básicos sintéticos e aditivos. Tem um controle maior em sua fabricação e, por isso, é mais puro. Suas características são:

  • tem mais durabilidade;
  • responde melhor aos veículos mais modernos;
  • oferece mais economia de combustíveis;
  • possui excelente custo/benefício.

Semissintético

O semissintético ou de base sintética consiste em uma mistura de proporções variáveis de básicos minerais e sintéticos para reunir as melhores propriedades de cada tipo de óleo. Confira também suas principais características:

  • dispõe de performance superior de lubrificantes minerais;
  • tem boa durabilidade;
  • possui preço intermediário.

Dicas na hora de trocar o óleo

Normalmente, a troca de óleo de uma moto está associada a cada 1.000 km rodados. Entretanto, não dá para considerar apenas a quilometragem, já que o óleo tem prazo de validade, que não pode passar de 6 meses.

Isso quer dizer que, por mais que você não rode a distância mínima indicada no manual da sua moto, o lubrificante deve ser trocado a cada 6 meses de qualquer jeito. Separamos abaixo algumas dicas importantes na hora de realizar a troca:

  • fique de olho no nível;
  • busque por vazamentos;
  • procure por resíduos no óleo velho;
  • nunca misture tipos de óleos diferentes;
  • não use óleo de carros em motocicletas.

Essas são algumas das informações que você precisa saber sobre a troca de óleo para motos. A resposta sobre a melhor opção para a seu veículo encontra-se no manual do proprietário. Por mais que um tipo de óleo tenha mais qualidade que o outro, há propriedades específicas que funcionam melhor de acordo com cada motor. Portanto, siga o manual à risca!

Gostou do nosso post sobre óleos para motos? Se quiser receber mais conteúdos como este, assine nossa newsletter para enviarmos por e-mail todas as novidades em primeira mão!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *