Direção defensiva: 10 dicas fundamentais para quem anda de moto

Tempo de leitura: 6 minutos

Se hoje em dia o trânsito fica cada vez mais perigoso, para os motociclistas os riscos são ainda maiores. É por isso que a direção defensiva é um assunto tão importante para quem anda de moto: a prevenção é muito mais eficiente do que equipamentos de segurança ou atitudes tomadas em uma fração de segundo.

Você, motociclista que se preocupa com segurança, tem muito a ganhar aplicando conceitos simples de prevenção de acidentes no seu dia a dia. Além de preservar a sua integridade física, também diminui os riscos contra pedestres e demais condutores, reduz os custos com manutenções corretivas, entre outros benefícios.

Por isso, apresentaremos hoje 10 dicas de direção defensiva fundamentais para motociclistas ligados na segurança! Vamos lá?

1. Distância de segurança é coisa séria

Muita gente pensa que a distância de segurança é só para os carros, mas os motociclistas também devem se resguardar com essa importante atitude.

Grande parte dos condutores de motos acabam se envolvendo em acidentes simplesmente porque estavam próximos demais do veículo da frente — que precisou fazer uma frenagem de emergência e, por causa disso, não conseguiu parar a tempo.

Sendo assim, mantenha sempre uma distância segura do veículo que segue à sua frente, de modo em que haja tempo de reação em caso de algum imprevisto.

Dica complementar: à noite, trafegue dentro do limite de 80 km/hora, velocidade compatível com a cobertura dos faróis da maioria das motos.

2. Evite o chamado “ponto cego”

É comum condutores de carros justificarem o tal “ponto cego” quando seus veículos acabam se chocando com motos da porta do motorista para trás. O ponto cego é um fenômeno real, ocorrendo quando pedestres ou motociclistas estão atrás do carro, nos lados, ficando escondidos pelas colunas laterais do veículo.

A situação pode ainda ser agravada pelo mal posicionamento dos espelhos retrovisores e pela dinâmica do trânsito, gerando situações adversas e imprevistas.

Aqui, a dica é evitar trafegar logo atrás de carros ou circular frequentemente no chamado “corredor” entre as pistas de rodagem. Para garantir que todos saibam a sua posição, se disponha de maneira segura no meio da pista, evitando os espaços entre os carros em movimento.

3. Farol é lei e aumenta sua segurança

Manter o farol baixo ligado dia e noite é uma obrigação prevista no Código de Trânsito Brasileiro. Isso não é à toa: o farol aumenta a sua visibilidade em situações adversas e pode representar uma eficaz prevenção contra acidentes, em qualquer horário do dia.

4. Direção defensiva é evitar situações de risco

Um dos principais ensinamentos da direção defensiva é pensar de maneira preventiva, lendo o comportamento dos demais veículos no trânsito e percebendo possíveis situações a serem evitadas. Isso acontece principalmente em locais como cruzamentos, onde o comportamento de risco é facilmente percebido por aqueles mais alertas.

Comece fazendo o básico: mantenha-se atento a todos os veículos ao seu redor, à movimentação dos pedestres e aos sinais que os motoristas e motociclistas dão sobre as suas intenções na pista.

Além disso, nunca confie na sorte. Se a preferência é sua, saiba que isso não necessariamente o protegerá da imprudência alheia. Esteja sempre pronto para garantir a sua segurança em primeiro lugar.

5. Descanse antes, durante e depois da pilotagem

Para trafegar na sua moto com segurança, é preciso estar em pleno estado de atenção e vigília. Isso significa, basicamente, estar bem acordado e alerta quanto ao seu ambiente.

Aqui, não há truques ou mistérios: basta garantir sempre uma boa noite de sono para não levar o cansaço para as ruas. Pilotos exaustos ou com sono têm a atenção reduzida e frequentemente demoram mais tempo para reagir em situações de emergência.

Sendo assim, em viagens longas, não pilote mais de uma hora sem tirar 15 minutos para o descanso!

6. Cuidado redobrado com veículos grandes

Nas estradas brasileiras, motos de todos os tamanhos e cilindradas convivem com carros, caminhões e grandes carretas. Isso multiplica os riscos de acidentes devido ao deslocamento de ar causado pelos grandes veículos que trafegam em altas velocidades.

Um deslocamento de ar desse tipo pode acabar desequilibrando e até mesmo arremessando as menores motos a vários metros, atingindo a contramão ou a lateral da pista.

Por esse motivo, mantenha sempre a distância de caminhões e carretas em alta velocidade. Na dúvida, fique de olho nos retrovisores e permaneça na faixa da direita até os apressadinhos passarem em segurança. E por falar em segurança…

7. O seguro é seu melhor amigo

As motos são veículos menores que os carros e acabam sendo mais frágeis também. Pequenas colisões podem representar grandes prejuízos para o proprietário e facilmente tirar a moto de circulação.

Desde pequenas avarias até a perda total de uma motocicleta (Deus me livre!), o seguro é a melhor forma de se precaver. Afinal de contas, é preciso ser cuidadoso por você mesmo e também pelos outros — e imprevistos sempre acontecem.

8. Respeite sempre a legislação de trânsito

O Código de Trânsito Brasileiro (também conhecido como CTB) existe por um bom motivo, aliás, vários. Cada lei tem como objetivo regulamentar determinadas situações para manter a ordem, a segurança e a fluência do trânsito, seja nas cidades ou nas estradas.

Começando com as regras mais básicas — como usar o capacete — até as regras de circulação e comportamento no trânsito, todas as normas são importantes e devem ser seguidas para minimizar riscos e proporcionar melhores condições de tráfego para todos.

Mais uma dica: mantenha-se informado sobre a legislação de trânsito e suas novidades. Ninguém pode alegar o desconhecimento de uma lei para justificar a sua infração e evitar punições!

9. Use o retrovisor e não seja pego de surpresa

Trata-se de uma dica básica, mas essencial. Muitas pessoas não têm o hábito de utilizar os retrovisores para perceber a aproximação de outros veículos vindos de trás e dos lados.

Sinalizando a sua intenção de fazer uma conversão com a seta, por exemplo, você confere os retrovisores e tem condições de mudar de faixa ou virar uma esquina em segurança. Por outro lado, não verificar quem (e como) está vindo por detrás pode ser a causa de sérios acidentes.

10. Piso molhado, perigo dobrado

Motos correm muitos riscos no trânsito — e com água no asfalto, durante ou depois de uma chuva, eles certamente se multiplicam.

Fica bem mais difícil controlar uma moto em piso molhado, já que a distância de frenagem aumenta e muitas vezes a água se mistura à sujeira, óleo e outros detritos no asfalto, criando uma camada escorregadia que representa uma verdadeira armadilha para motociclistas.

Prefira não trafegar na sua moto em ruas molhadas e, quando o fizer, mantenha velocidade constante e baixa, sempre na pista da direita para a sua própria segurança.

Curtiu as nossas dicas para direção defensiva de motociclistas? Então siga a Mastter Moto no Facebook e não perca nossos artigos com dicas e informações exclusivas para você. Até o próximo post!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *